8 de agosto de 2013

ANIMAÇÃO [Review]: Spirit - O Corcel Indomável

Oi, gente, tudo bem? Eu e o Aquerman planejamos postar aqui no blog com mais frequência, até porque o blog já tem quase 1 ano e pouquíssimas postagem (ops!), então estivemos pensando em novas ideias, formatos de postagem e "colunas" pra dar uma incrementada por aqui. Algumas das ideias que nós tivemos e pretendemos aplicar no site foram: fazer algumas postagens em forma de vídeo e cada um de nós ter uma coluna sobre um assunto que goste e acompanhe. A minha, como vocês podem ver, será sobre a grande paixão da minha vida (tantantantan): animações. A do Aquerman manterei em segredo até que tudo esteja certinho (heheheh).

Sobre a Coluna:
A ideia da coluna é a de, ocasionalmente, dividir com vocês todo o tipo de informação sobre animações - desde indicações, reviews e novidades, até detalhes sobre a produção e curiosidades em geral - sempre com o intuito de divulgar e desvencilhar de tabus como "animação é coisa de criança" essa incrível variável da 7ª arte.


Hoje eu vim falar pra vocês sobre uma das minhas animações favoritas de todos os tempos (só não ultrapassa O Rei Leão #mufaseuteamo): Spirit: O Corcel Indomável que, infelizmente, é meio, digamos assim, "esquecida". Acredito que um dos fatores responsáveis por isso possivelmente seja sua temática forte sem que haja um alívio cômico constante (como Timão e Pumba em O Rei Leão), pra compensar as cenas tristes e/ou pesadas, o que acaba causando uma má aceitação por parte das crianças. Eu sempre gostei desse filme, desde pequena, por sempre ter gostado de filmes com índios e cavalos (eu acho hahah), mas, por exemplo, uma prima minha, que também assistiu à animação quando bem nova, hoje em dia confirma que nunca gostou muito do filme por achar as partes tristes muito tristes. Porém, o filme fez grande sucesso com a crítica e o público mais velho por conta de sua história tão bonita e emocionante do início ao fim, o que infelizmente não foi o suficiente para eternizar seu nome já que nos dias de hoje só sobrevivem os nomes daquelas animações que fazem sucesso com os pequenos, pois aí são comercializados milhares de produtos inspirados nos longas e isso instiga as distribuidoras a continuar divulgando-os por anos e anos. Nota: as mina pira na repetição da palavra "filme"


Avaliação (dentro do gênero):
Título: Spirit - O Corcel Indomável
Título Original: Spirit: Stallion of the Cimarron
Direção: Kelly Asbury e Lorna Cook
Ano: 2002
Estúdio: DreamWorks 
Sinopse: No final do século XVII em pleno Oeste norte-americano vive Spirit, um cavalo que resiste a ser domado pelo homem. Ele se apaixona por uma égua local, chamada Chuva, e desenvolve uma grande amizade com um jovem índio Lakota chamado Pequeno Rio. Juntos eles acompanham a colonização do local onde vivem, percebendo as mudanças que a chegada da civilização fazem em seu dia-a-dia.


Mas enfim, sem mais enrolações, vamos ao que interessa:


O filme conta a história de Spirit (que só vem a receber esse nome durante o filme), um cavalo selvagem que  faz de tudo pra proteger sua terra natal e o rebanho do qual é líder. Certa noite, explorando as redondezas do velho oeste, Spirit acaba sendo capturado por soldados americanos que o levam para um forte onde tentam domesticá-lo. O que parecia ser um pesadelo sem fim, acaba sofrendo uma reviravolta quando Spirit conhece outro selvagem capturado pelo exército. Porém, este prisioneiro não é outro cavalo, e sim um jovem índio Lakota. Então, um acaba vendo no outro uma oportunidade de escapar.

Eu não saberia como resumir o resto da história sem soltar grandes spoilers, mas posso lhes dizer que assistindo ao filme vocês encontrarão uma aventura muito emocionante, heróis que fazem jus a esse título, um belíssimo desenvolvimento de personagens, relacionamentos muito bonitos sendo construídos e cenários incríveis retratando as terras selvagens da fronteira americana. Nota: em momento nenhum os cavalos de fato falam, o filme é narrado pelo protagonista por meio de seus pensamentos


Se você ainda não está convencido de que o filme merece uma chance, aí vai uma lista de motivos para assistir Spirit:

  •  O conteúdo histórico: apesar de ser um filme voltado para crianças e conter inúmeros elementos fantasiosos, o retrato da situação índios vs. exército é fiel à realidade da época.
  •  Inovação: o filme foi produzido de forma a unir as técnicas de animação em 3D e desenho a mão. Então encontramos maior profundidade do que a presente em animações 100% 2D e a simplicidade de imagens que foram, passo-a-passo, desenvolvidas pelas mãos dos artistas.
  •  E se nada disso foi o bastante, assista pelo menos pela trilha sonora: não tem UMA faixa ruim. Interpretadas originalmente pelo Bryan Adams (<3) e aqui no Brasil pelo Paulo Ricardo (RPM), as músicas são uma extensão dos pensamentos de Spirit. São lindas, emocionantes, fortes e perfeitamente encaixadas no contexto da história. Curiosidade: o instrumental da trilha seria originalmente composto por violões, mas essa ideia foi logo descartada, dando lugar a apenas sons digitais pra que quando os espectadores ouvissem as músicas, não sentissem nelas a presença de humanos, pois isto prejudicaria a sensação de que todas as canções saíram da mente de um corcel.

Bom, espero que gostem desse post e espero escrever novamente nessa coluna o mais breve possível porque eu nunca havia tentado escrever sobre animações antes e, cara, acho que eu nunca mais vou conseguir parar! Beijos e até o próximo post!


9 comentários:

  1. gostei bastante, parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Manoela Figueiredo8 de agosto de 2013 20:28

    Adorei Gabi e concordei com tudo que você falou. O filme é lindo e é uma pena que não seja tão lembrado, como você disse.
    Sempre gostei dele e sempre vou gostar,e a trilha sonora é realmente fantástica.
    Ps: quando fizer algo sobre o Rei Leão me fale que virei ler com certeza.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AHHH LINDA <3 Que bom que você gostou! Fico muito feliz que você tenha lido e aprovado! Pode ter certeza que vai rolar O Rei Leão por aqui! Beijos!

      Gabriela

      Excluir
  3. Na boa Gabriela, te adimiro muito! Ficou simplEsmente demais, pode ter certeza que eu sempre vou ler. Sou sua fã! ps: espero que você entenda o porque do e maiusculo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MEU DEUS POR ESSA EU NÃO ESPERAVA! Obrigada, P! Não sei se entendi, mas acho que é porque você não escreveu "simples mente" KKKKK corrijá-me se não for o caso! Te amo, cachorra! Beijos

      Gabriela

      Excluir
  4. Gosto muito de vce e dos seus textos! Pena que vc nao gosta de mim :/ abracos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. wtfffff? HAUHAUHAU não vou negar porque eu não sei quem é, mas novamente: WTF? Por que eu não gostaria?

      Excluir
  5. Gabriela, gostei muito da sua resenha, espero que vc nunca pare de escreve!!!! Ainda não assisti este filme, mas agora não vejo a hora de assisti-lo...um grande beijo. Vilma

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhhhh obrigada por ter lido a resenha! Fico muito feliz que você tenha gostado!!!!! Beijos <3

      Gabriela

      Excluir

O que você achou do post?